Uma pesquisa recente feita com 1,2 mil empresas globais e tomadores de decisão na área de TI, em 13 países, sob encomenda da Veritas Technologies à Vanson Bourne, revela que a maioria das companhias (56%) prioriza a nuvem para implantação de novos aplicativos e o gerenciamento de cargas de trabalho (workloads), além de somente 1% ter declarado que não pretende adotar a nuvem nos próximos dois anos.

O estudo revela, entretanto, que as empresas vêm cometendo uma série de equívocos em relação à atribuição da responsabilidade pelo gerenciamento de dados, já que 69% das entrevistadas acreditam erroneamente que a proteção e a privacidade dos dados e a conformidade com os requisitos de compliance são de responsabilidade do provedor de serviços de nuvem.

Segundo a pesquisa, intitulada “The Truth in Cloud” (A verdade sobre a nuvem), os clientes estão adotando multinuvem — a qual permite que as empresas compartilhem cargas de trabalho entre vários provedores e tecnologias de nuvem para criar as soluções — como um componente essencial das suas estratégias de negócios. Esses mesmos clientes utilizam diferentes provedores de serviços de nuvem, incluindo a nuvem pública e a nuvem privada.

Em relação à infraestrutura como serviço (IaaS), mais de dois terços (67%) das empresas utilizam ou planejam utilizar um ou mais provedores de nuvem. Quarenta e dois porcento afirmaram que estão usando ou planejam usar três ou mais  provedores de nuvem com o objetivo de melhorar a resiliência e a segurança dos dados e reduzir as despesas de capital (Capex) e despesas operacionais (Opex).

A pesquisa abordou três áreas essenciais: os conceitos equivocados sobre o gerenciamento de dados na nuvem pública; o aumento na adoção da multinuvem e as futuras transferências para a nuvem.

Conceitos equivocados sobre o gerenciamento de dados na nuvem pública

Embora as empresas já estejam adotando a multinuvem, a pesquisa mostrou que quando se trata da nuvem pública,  há uma série de equívocos sobre quem é de fato responsável pelo gerenciamento dos dados: o cliente ou o provedor de nuvem.

Principais conclusões da pesquisa:

. Mais de oito em cada dez (83%) empresas que usam ou planejam usar a IaaS acreditam que o provedor de serviços de nuvem é responsável pela proteção dos seus dados na nuvem.

. Mais de dois terços (69%) dos respondentes acreditam que a proteção e a privacidade dos dados e o cumprimento dos requisitos de compliance são responsabilidade dos provedores de serviços de nuvem.

. Mais da metade (54%) das empresas acredita que o provedor de serviços de nuvem è responsável pela transferência segura dos dados entre a empresa e a nuvem.

. Mais da metade (51%) das empresas acredita que o provedor de serviços de nuvem é responsável pelo back-up dos workloads na nuvem.

Equívocos cometidos pelas empresas em relação ao gerenciamento de dados na nuvem pública IaaS

– O provedor de nuvem IaaS é inteiramente responsável pela proteção dos dados na nuvem: 83%;

– O provedor de nuvem IaaS é responsável pela proteção e privacidade dos dados e pelo cumprimento dos requisitos de compliance: 69%;

– O provedor de nuvem IaaS é responsável pela transferência segura dos dados entre a empresa e a nuvem: 54%;

– O provedor de nuvem IaaS é responsável pelo back-up dos workloads na nuvem: 51%;

“As nossas equipes jurídicas revisaram os contratos de vários provedores de serviços de nuvem pública a fim de auxiliar a Veritas a entender quais as responsabilidades dos clientes e dos provedores de serviços de nuvem em relação ao gerenciamento de dados na nuvem pública”, afirma Mike Palmer, vice-presidente executivo e diretor de produto da Veritas.

“Apesar de os clientes acharem que os provedores de nuvem são responsáveis pelo gerenciamento dos dados, os contratos com os provedores de serviços de nuvem geralmente atribuem a responsabilidade pelo gerenciamento dos dados aos clientes. A nossa pesquisa confirmou as nossas suposições de que a responsabilidade principal pelo gerenciamento dos dados é do cliente”, acrescenta Palmer.

Aumento na adoção da multinuvem

A pesquisa também apontou que as empresas já estão utlizando ou planejam utilizar plataformas de nuvem múltiplas, incluindo nuvens públicas e privadas. No entanto, muitas empresas continuam a enfrentar uma série de desafios para acessar a nuvem – tanto a pública quanto a privada. Os principais obstáculos enfrentados pelas empresas são:

. A complexidade do processo de migração para a nuvem (37%).

. As limitações dos sistemas de tecnologia legados (36%).

. A falta de profissionais especializados dentro das empresas (38%).

. A falta de uma estratégia clara (32%).

. Silos de dados (27%).

Em relação à IaaS, surpreendentemente 16% dos respondentes afirmaram que já utilizam ou planejam utilizar cinco ou mais provedores de nuvem. Segundo os entrevistados, a privacidade e a segurança dos dados e o cumprimento dos requisitos de compliance, assim como o desempenho dos  workloads e o tempo de atividade são fatores determinantes na escolha do provedor de nuvem.

Futuras tendências na nuvem

Segundo a pesquisa, os gastos de TI com tecnologias de nuvem, incluindo provedores de nuvem pública, devem aumentar de 12% em 2017 para 18% nos próximos dois anos. Atualmente, 75% das empresas trabalham com um provedor de nuvem pública IaaS. Esta tendência deve aumentar, pois mais da metade (58%) das empresas que atualmente usam um provedor de nuvem planejam expandir o seu portfólio para múltiplas plataformas de nuvem.

“Conforme um número cada vez maior de empresas prioriza o uso da nuvem, é essencial saber lidar com as complexidades do mundo multinuvem. Assim como os ambientes in-site, os clientes precisam levar em consideração todos os aspectos do gerenciamento de dados durante a migração para a nuvem: desde a proteção dos dados e compliance até portabilidade dos workloads, a continuidade dos negócios e a otimização do armazenamento”, finaliza Palmer.

Fonte: ComputerWorld

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

Comments

comments