À medida que o volume de dados armazenados cresce, o tempo necessário para analisar essas informações também aumenta. Velocidade na tomada de decisões é um ativo fundamental em um mercado cada vez mais digital. É aí que entra um conceito recente na indústria da tecnologia: a computação in-memory. Com ela, empresas ganham mais agilidade, potencializam suas estratégias e se tornam mais competitivas.

Sistemas de gestão que exploram tecnologias de processamento em memória garantem efetividade para lidar com cenários complexos a partir da produção de insights que têm como base a análise de grandes quantidades de dados em tempo real. No fim do dia, esse tipo de inovação acelera a aplicação de novas posturas e transformações nos negócios de uma empresa.

Pense em uma companhia de médio ou grande porte, como uma montadora de automóveis, por exemplo. Imagine quantas decisões ela poderia tomar se pudesse monitorar, em tempo real, os dados coletados nos carros que fabricou e rodam por ruas e estradas ao redor do mundo, tudo isso em um só sistema de maneira rápida e consistente?

Se, monitorando os dados em tempo real, esta montadora descobre que a maioria dos compradores de veículos elétricos mora na zona sul de uma cidade, ela pode começar a pensar em ações direcionadas e inteligentes justamente para este pessoal da zona sul. O obstáculo, porém, é quanto tempo a empresa leva para chegar a esta ideia.

É assim que a computação in-memory pode aprimorar os negócios de uma organização. Quem trabalha em um contexto corporativo de bastante pressão certamente consegue entender a necessidade de ferramentas in-memory, como o SAP HANA, plataforma da fornecedora de software alemã SAP.

A solução ajuda clientes a conseguirem resultados mais rápidos, permitindo que a empresa se adiante à concorrência e traga resultados em menos tempo, diminuindo custos a longo prazo e aprimorando a produtividade da equipe como um todo.

O SAP HANA é utilizado por diversas companhias ao redor do mundo, e pode render ainda mais frutos se aliado a uma infraestrutura potente de data center. Os servidores UCS (Unified Computing Systems), por exemplo, aceleram e melhoram o desempenho de ambientes SAP HANA de modo a tornar essas transformações digitais ainda mais impactantes, produtivas e rápidas.

Diversas empresas utilizam infraestrutura de data center baseado em Cisco UCS para amplificar os poderes do SAP HANA. O resultado? A automação do processo de gerenciamento de infraestrutura, assim como o aumento da escalabilidade e da capacidade de oferecer gerenciamento de recursos dinâmicos em negócios críticos, gerando redução de custos operacionais, melhorando o desempenho das aplicações críticas de negócio e garantindo retorno sobre investimento efetivo.

Agilidade e velocidade são atributos fundamentais em um ambiente cada vez mais digital. E, justamente por isso, é importante investir em sistemas de gestão modernos. Porém, não é apenas o software que garante todo o desempenho prometido. É fundamental uma infraestrutura de hardware que permita que se tire o máximo proveito das soluções de computação in-memory.

 

Fonte: OlharDigital

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry