Como já era esperado, a Microsoft anunciou na última quinta-feira (06) um corte de mais de 3 mil funcionários, uma mudança já adiantada pela própria empresa, que afirmara que mudanças importantes estariam a caminho. Desde a chegada de Satya Nadella à cadeira de presidente executivo, a companhia passa por mudanças radicais, alterando significativamente seus rumos. As demissões aconteceram especialmente no setor de vendas, onde a grande quantidade de funcionários estava deixando o trabalho menos eficiente e mais burocrático.

A Microsoft está se concentrando cada vez mais no serviço de Cloud Computing, em que tem obtido boas taxas de crescimento. A mudança de foco é um dos principais objetivos de Nadella, que teve de lidar com alguns fracassos da companhia em seus anos como CEO, a principal delas no segmento mobile.

De acordo com a empresa, as demissões acontecerão principalmente fora dos Estados Unidos e representam 10% de todo o departamento de vendas. Ainda que a decisão não seja necessariamente positiva para todos, ela geralmente acontece neste período do ano fiscal da empresa. Em 2016, foram demitidos 2.850 funcionários. No ano anterior, o corte foi de 7.000 trabalhadores.

Em comunicado à imprensa, a Microsoft alegou que as demissões visam servir melhor os parceiros, clientes e usuários. “Hoje estamos tomando medidas para notificar alguns funcionários que seus trabalhos estão em consideração ou que suas posições serão eliminadas. Como todas as empresas, avaliamos nossos negócios regularmente. Isso pode resultar em aumentos nos investimentos em alguns setores e, de tempos em tempos, reimplantação em outros”, comunicou.

Apesar das constantes mudanças e demissões anuais de milhares de funcionários, Nadella é visto com bons olhos dentro da própria companhia. Segundo a Glassdoor, o executivo possui 95% de aprovação, sendo um dos CEOs mais respeitados do setor de tecnologia. A reestruturação da Microsoft levará a empresa a competir com mais força no segmento de cloud, onde encontra forte concorrência da Google, Amazon e outras empresas. Até o momento, a aposta tem dado muito certo, já que o Azure tem sido um dos principais geradores de lucro da empresa.

Fonte: CanalTech

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry